A energia solar fotovoltaica pode transformar o Brasil, nos colocando como referência para o Mercosul. No mundo inteiro, as fontes alternativas de energia estão crescendo rapidamente, dentre elas a energia solar vem liderando este processo.

Durante todo ano passado, a indústria solar dos EUA acrescentou empregos ao mercado doze vezes mais rápido do que o resto da economia, crescimento bem mais veloz que o índice de empregos criados pelos setores de Petróleo e Gás. Pelo terceiro ano consecutivo, a força de trabalho solar cresceu 20% nos Estados Unidos, adicionando 35.052 postos de trabalho, elevando o setor solar ao total de 208.859.

A industria solar norte americana está empregando mais pessoas que as tradicionais industrias de mineração de carvão e de petróleo. As empresas do setor esperam que esta tendência continue nos próximos anos, devido à vários tipos de incentivos federais e à diminuição do custo desta fonte de energia ao longo dos últimos 5 anos.

A inserção da fonte solar nos Estados Unidos, especialmente no estado da Califórnia, representa uma inspiração e um modelo para o Brasil. O potencial brasileiro é imenso e tem boas perspectivas: realmente, o Brasil pode chegar ao mesmo patamar californiano, estado onde é considerado uma grande vantagem ter um sistema fotovoltaico, ao ponto de valorizar o imóvel.

De acordo com  o estudo da ONG Greenpeace de 2016, o “Relatório Alvorada – Como o incentivo à energia solar fotovoltaica pode transformar o Brasil”, a energia solar em nosso país considerando um cenário conservador, sem ulteriores incentivos do governo, tem capacidade de gerar cerca de 700 mil empregos nos próximos 15 anos, com mais de 1,2 milhões de sistemas a ser instalados, contribuindo com a economia do Brasil e com a redução das emissões de gases poluentes como o CO2 em aproximadamente 18 milhões de toneladas, pelos próximos 15 anos!

cenário brasil fotovoltaico

No cenário mais otimista, com uma serie de incentivos a serem implementados o número de sistemas instalados nos próximos 15 anos no Brasil será superior a 8 milhões de unidades, com um número de empregos gerados de quase 4 milhões e uma redução nas emissões de CO2, de cerca 122 milhões de toneladas ao longo de 15 anos!

cenário brasil fotovoltaico 2

Fonte: Greenpeace.org